Melhores práticas em cada etapa da obra

Realizar um bom gerenciamento de obra não é atividade simples, pois requer muito conhecimento técnico, gestão de pessoas, controle de custos e prazos. Em tempos de crise, o profissional que quer se diferenciar no mercado deve buscar as melhores práticas em cada etapa da obra.

Aos poucos, o setor da construção civil vem se recuperando após um período pouco favorável no Brasil. Embora o segmento apresente boas perspectivas, muitos gestores já se preocupam com a necessidade de oferecer serviço de qualidade e preço adequado.

Uma construção, por menor que seja, necessita de planejamento. Os gastos são altos e o responsável pela obra precisa ter seu caixa reforçado para isso. Contudo, é possível otimizar custos e aplicar ações que garantam uma gestão mais eficaz.

Por isso, elaboramos uma lista com as melhores práticas que podem ser aplicadas em cada etapa da obra.

 

1 – Planejamento

 

Sem planejamento é impossível alcançar resultados eficientes.

Esse método é muito eficaz, pois contém informações e objetivos importantes sobre margens financeiras, prazos de entrega, adequação à legislação trabalhista, ambiental e controle de custos.

Para que seja produtivo, os dados devem ser sempre atualizados, com o propósito de detectar possíveis irregularidades e corrigi-las antes que impacte o andamento da obra.

 

2 – Gestão de equipes

 

Ter profissionais preparados e experientes garante mais segurança na execução do serviço. Além dos pedreiros, ajudantes, armador, pintor, azulejista e outras funções essenciais em uma obra, vale ressaltar que a contratação de engenheiros, arquitetos e mestres de obra não pode ser esquecida.

Independente da forma de admissão, própria ou terceirizada, é fundamental observar as normas trabalhistas relacionadas à construção civil. O controle dentro de um canteiro de obras deve ser reforçado através do uso de equipamentos de segurança, treinamentos, atualização de registros e distribuição de tarefas aos profissionais.

Nesse sentindo, zelar pelo cumprimento das obrigações evita uma série de dores de cabeça que prejudicam o andamento da obra, como desembolso financeiro maior que o programado, causas trabalhistas, afastamento de funcionários, etc.

 

3 – Serviços preliminares

 

Antes de iniciar a obra propriamente dita é preciso realizar serviços geotécnicos e de sondagem, além de montar uma estrutura para receber materiais e funcionários.

Essa preparação deve constar no planejamento e cumprir a data do cronograma para não prejudicar o início da próxima fase.

Nessa etapa são realizadas as construções de depósitos, tapumes, instalação de água, energia e itens básicos para os trabalhadores, como lâmpadas e banheiros.

 

4 – Fundação

 

Essa etapa é a mais importante da construção, pois, se ela não for bem executada, pode comprometer todo o empreendimento.

O projeto de fundação deve ser seguido à risca. Para isso, contrate uma empresa especializada em terraplanagem, utilize materiais de qualidade e respeite o tempo de secagem do concreto.

 

5 – Alvenaria

 

Com a base da construção pronta é hora de levantar as paredes. Além da utilização de materiais de qualidade, a dica é verificar com o arquiteto se a construção está conforme o projeto.

Por questões de custo, muitas vezes esse profissional não faz o acompanhamento da obra. Isso pode não ser tão favorável para a execução do serviço, já que outros funcionários do canteiro podem não saber fazer a leitura das plantas.

Em caso de erros, a construção deverá ser refeita, aumentando custo e prazo do projeto.

 

6 – Estrutura

 

Essa é a etapa de fabricação de colunas e vigas que dão sustentação ao imóvel.

Existem alguns tipos de estrutura, sendo o concreto armado o mais comum, mas a decisão do modelo a ser utilizado na obra não pode ser tomada no momento da construção. Na verdade, o tipo de estrutura faz parte do projeto e deve ser discutida e aprovada bem antes do início da obra.

Para dar mais agilidade na instalação de colunas e vigas, o Molfix é a opção adequada. Esse produto amarra o estribo ao vergalhão, substituindo a amarração que era feita com arame recozido.

 

7 – Instalação elétrica e hidráulica

 

Antes de finalizar as paredes, outro serviço precisa ser executado. Esse é o momento de instalar cabos, canos, quadro de distribuição de energia e fios.

Por mais que esses materiais não fiquem aparentes, pois estão dentro das paredes, é importante que tenham qualidade. Mesmo que o custo seja um pouco maior, opte por uma marca conhecida.

 

8 – Cobertura

 

A construção começa a ganhar outros contornos nessa fase, visto que é o momento de fazer a laje. Ela também faz parte da estrutura de sustentação do imóvel e, como tal, a sua construção deve seguir também o projeto estrutural.

A boa prática, nesse estágio, é a utilização do Rebotec Vedalaje. O produto impede que umidade, infiltração e mofo prejudiquem a edificação.

 

9 – Acabamento

 

Para muitos, essa é a melhor parte da construção: momento de dar cor e toque pessoal ao imóvel. É a fase da colocação de esquadrias, contrapisos, reboco ou gesso, peças sanitárias e revestimentos de pisos e paredes.

Porcelanatos e azulejos são peças que se destacam na etapa de acabamento, pois ocupam grandes áreas. Para que não haja problemas no assentamento dessas placas utilize os niveladores de piso. Eles proporcionam instalação perfeita, promovendo agilidade, economia e alta qualidade de acabamento.

 

Para garantir o bom andamento da obra são necessárias algumas mudanças, que nem precisam ser tão impactantes. Muitas vezes, pequenos ajustes podem ajudar na redução do orçamento ou diminuir o prazo de entrega.

Em qual fase está a sua obra? Se você precisa de material de qualidade, entre em contato com a Moldimplas. Nosso compromisso é oferecer o melhor para a sua construção.